As inúmeras tentativas para finalmente sair da inércia (pra sempre)

Isso de blog ainda é algo muito novo pra mim. Sempre pensei em fazer um, na verdade, mas nunca fui pra frente. Acho que essa é a primeira vez que crio um blog sobre minha dieta e faço mais de um post (já cheguei a criar outros dois que prefiro nem citar o nome).

Quero ir aos poucos pra ter o que falar cada vez que escrever. Primeiro, quero agradecer os mais de 90 visitantes no primeiro dia! Muito bom. Mas vamos ao que interessa: como isso tudo começou. Serei breve porque a história é longa.

Sempre fui magrinho até fazer uns 13 ou 14 anos. Tive uma bela de uma anemia e precisei tomar algumas vitaminas. Uma delas me engordou muito e, desde então, emagrecer tornou-se um sacrifício. Minha família toda é gordinha e isso só me desfavoreceu. Já engordei muito, emagreci, engordei mais um pouco e emagreci de novo e por aí vai. Com uns 16 anos fui a nutricionista e emagreci 10kg – mas recuperei tudo e piorei muito quando fiz o famoso intercâmbio, onde muita gente engorda. Voltei pro Brasil, em 2008, com 111kg! Obeso e me odiando, uma sensação horrível. Decidi mudar e fiz uma dieta que prometia emagrecer 5kg em três dias – e funcionou. Depois disso, segui uma programação criada por mim e cheguei aos 86kg. Uma vitória, mas quem disse que consegui parar por aí? Engordei muito de novo e, quatro anos depois, estava eu com 108kg.

Durante todos esses anos, de 2008 pra 2013, tive consciência que não queria ser gordo. Não só por estética, mas a saúde também precisava melhorar. Nunca me incomodou tanto até que, em janeiro deste ano, descobri a Esteatose Hepática, vulgo gordura no fígado. Não fiz nada pra mudar – reduzi o consumo de gordura por umas semanas e depois só reduzi mesmo a bebida – continuava comendo normalmente. Mas era preciso fazer alguma coisa e eu sempre soube disso.

Preciso assumir: não é fácil começar. Demorei uns anos pra chegar em outubro deste ano e decidir mudar de vida. É preciso pouco pra ter certeza disso, mas muito pra sair do lugar, e a gordura no fígado só me fazia pensar em como minha saúde poderia piorar. Na verdade, tudo junta: a saúde, a dificuldade pra roupa ficar boa, o inchaço do corpo, o suor a qualquer momento, as roupas que não dão mais… E uma hora a gente pensa que só depende da gente. É preciso ter coragem e encarar a abstinência de doces e alimentos gordurosos, é preciso aprender a viver bem e de maneira saudável – mas vamos deixar a continuação pro outro post.

Até lá!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s