Dieta e Saúde

Segunda-feira é um dia sempre complicado pra quem faz regime, né? Tenho tentado pensar que, na verdade, ela deve ser boa. É um recomeço depois de, provavelmente (no meu caso, obviamente) terem acontecido alguns excessos no fim de semana. De qualquer maneira e já mudando um pouco de assunto, hoje quero contar um pouco sobre a dieta que adotei. Já contei sobre quando resolvi mudar e de todas as vezes que tentei, mas agora tá sendo pra valer.

Há algum tempo, conheci o site Dieta e Saúde (quero deixar claro que não estou sendo pago pra falar disso hahaha). Basicamente, é um site que oferece uma dieta dos pontos bem útil pra quem tem um smartphone ou acesso diário à internet. Você informa seu peso, altura, idade e alguns outros dados e, rapidinho assim, você ganha uma quantidade máxima de pontos pra ingrerir por dia. No meu caso, são 45. Depois disso, instala o aplicativo no celular e, por lá, tem como controlar a pontuação de cada alimento – e é tudo ótimo! Raramente eu não encontro alguma coisa (mas posso cadastrar se souber as informações nutricionais). Hoje – que nem foi um dia tão saudável assim – já comi isso, vejam:

Imagem

Preciso compartilhar isso: estou aprendendo a comer melhor. Claro que a ajuda dos amigos mais saudáveis está sendo ótima, mas com essa dieta comecei a comer coisas que nunca tinha colocado na boca, como inhame, abóbora, abobrinha, beterraba, beringela e várias outras. Sem contar os dias que não como arroz – e isso parecia complicado. Está sendo uma boa opção pra mim e ainda aprendo mais sobre o que é bom pra minha saúde.

Emagrecer está sendo muito bom – a sensação de entrar melhor numa roupa, de caminhar melhor, de se sentir menos inchado é ótima. E, geralmente, só os gordinhos sabem disso, né? Às vezes me pego perguntando pra algum amigo magro: “Sabe quando você se sente menor? Menos perna arrastando na perna?” e eles não sabem responder. E é pra isso, pra sentir bem (e pela beleza também, claro) que eu quero emagrecer!

Por hoje é só. Se quiserem saber mais sobre o site que falei, vejam aqui.

Anúncios

As inúmeras tentativas para finalmente sair da inércia (pra sempre)

Isso de blog ainda é algo muito novo pra mim. Sempre pensei em fazer um, na verdade, mas nunca fui pra frente. Acho que essa é a primeira vez que crio um blog sobre minha dieta e faço mais de um post (já cheguei a criar outros dois que prefiro nem citar o nome).

Quero ir aos poucos pra ter o que falar cada vez que escrever. Primeiro, quero agradecer os mais de 90 visitantes no primeiro dia! Muito bom. Mas vamos ao que interessa: como isso tudo começou. Serei breve porque a história é longa.

Sempre fui magrinho até fazer uns 13 ou 14 anos. Tive uma bela de uma anemia e precisei tomar algumas vitaminas. Uma delas me engordou muito e, desde então, emagrecer tornou-se um sacrifício. Minha família toda é gordinha e isso só me desfavoreceu. Já engordei muito, emagreci, engordei mais um pouco e emagreci de novo e por aí vai. Com uns 16 anos fui a nutricionista e emagreci 10kg – mas recuperei tudo e piorei muito quando fiz o famoso intercâmbio, onde muita gente engorda. Voltei pro Brasil, em 2008, com 111kg! Obeso e me odiando, uma sensação horrível. Decidi mudar e fiz uma dieta que prometia emagrecer 5kg em três dias – e funcionou. Depois disso, segui uma programação criada por mim e cheguei aos 86kg. Uma vitória, mas quem disse que consegui parar por aí? Engordei muito de novo e, quatro anos depois, estava eu com 108kg.

Durante todos esses anos, de 2008 pra 2013, tive consciência que não queria ser gordo. Não só por estética, mas a saúde também precisava melhorar. Nunca me incomodou tanto até que, em janeiro deste ano, descobri a Esteatose Hepática, vulgo gordura no fígado. Não fiz nada pra mudar – reduzi o consumo de gordura por umas semanas e depois só reduzi mesmo a bebida – continuava comendo normalmente. Mas era preciso fazer alguma coisa e eu sempre soube disso.

Preciso assumir: não é fácil começar. Demorei uns anos pra chegar em outubro deste ano e decidir mudar de vida. É preciso pouco pra ter certeza disso, mas muito pra sair do lugar, e a gordura no fígado só me fazia pensar em como minha saúde poderia piorar. Na verdade, tudo junta: a saúde, a dificuldade pra roupa ficar boa, o inchaço do corpo, o suor a qualquer momento, as roupas que não dão mais… E uma hora a gente pensa que só depende da gente. É preciso ter coragem e encarar a abstinência de doces e alimentos gordurosos, é preciso aprender a viver bem e de maneira saudável – mas vamos deixar a continuação pro outro post.

Até lá!